Uma caixa de ferramentas para a mobilidade virtual

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Uma caixa de ferramentas para a mobilidade virtual

É possível viver experiências transformadoras em um intercâmbio online? 

Quando falamos em intercâmbio virtual muitas vezes pensamos que a experiência vai ser mais superficial ou menos engajadora do que seria em encontros presenciais. Pois em agosto a Swissnex Brazil em colaboração com a Oikos da Suíça realizou um webinário justamente para desmistificar este assunto e pensar o futuro da mobilidade virtual. Uma das convidadas foi Rahel, co-fundadora do Instituto Now, que esteve ao lado de representantes de diferentes organizações internacionais relacionadas à educação e inovação.

No webinário “Iniciativas e boas práticas para a mobilidade virtual mundo afora”, a proposta era pensar como a mobilidade virtual pode promover a cooperação na educação e práticas inclusivas de internacionalização. A aposta é que a educação digital pode promover oportunidades únicas para estudantes e pesquisadores, mesmo com todos os seus desafios.

Durante a participação, Rahel apresentou uma caixa de ferramentas para encontros e intercâmbios online a partir de suas experiências nos programas realizados pelo Instituto Now. Longe de oferecer respostas prontas, a ideia foi fomentar práticas que permitam desenvolver a escuta e a capacidade de criar novas soluções em diferentes contextos.

 

participante do Programa Rumo, realizado pelo Instituto NOW

 

Conheça algumas das nossas ferramentas

 

  1. Autenticidade e conexões verdadeiras

Para criar conexões verdadeiras é preciso antes de tudo produzir um ambiente seguro. Uma das nossas dicas é propor momentos divertidos nos quais as pessoas se sintam à vontade para se  expressar de forma autêntica. Isso permite que as pessoas troquem umas com as outras com leveza e facilita a criação de novas amizades. Além disso, é uma maneira de convidá-las a estar no programa de forma íntegra e sentir que todo o seu ser está contemplado naquele espaço. Esses momentos divertidos podem ser jogos, check-ins com perguntas pessoais e divertidas ou o pedido de postar GIFs e imagens pessoais. 

 

  1. Compreender as barreiras de acesso

Propostas online têm um grande potencial para incluir quem nunca teria participado em programas de mobilidade e intercâmbio. Ao mesmo tempo, traz muitas barreiras para a participação plena no programa. Por isso, é importante ter um olhar atento a essas barreiras para tentar reduzi-las ao máximo:

 

  • Barreiras tecnológicas estão relacionadas não apenas ao acesso a internet, mas também ao acesso a equipamentos compatíveis com as plataformas e mídias utilizadas. No nosso Programa Rumo, por exemplo, participantes de um país não podiam acessar a plataforma de chat Slack pois os celulares eram mais antigos. Para solucionar este problema sugerimos utilizar plataformas que funcionem em diferentes tipos de hardware e aparelhos e que utilizem poucos dados.

 

  • Barreiras sociais também precisam ser consideradas. O ensino à distância em tempos de pandemia explicitou as desigualdades e demonstrou como a realidade de aprendizes impacta na capacidade de aprender online. Ao formular propostas é importante considerar que as realidades são distintas. Será que a pessoa tem um quarto tranquilo para participar da videoaula? Será que ela pode ficar constrangida em partilhar as dificuldades do contexto em que vive? Será que ela sente segurança para ligar a câmera e mostrar o ambiente e as pessoas que estão presentes nele? 

 

  1. Acompanhamento próximo e personalizado

Experiências de aprendizagem e mobilidade online precisam de acompanhamento. Na nossa experiência, se conseguimos definir metas de aprendizagem com cada participante e temos trocas individuais sobre expectativas, isso aumenta muito o comprometimento e a motivação para participar do programa. Facilitadoras e facilitadores de aprendizagem também são cruciais para guiar reflexões e levantar perguntas críticas que propiciem conversas e trocas reais. Isso é fundamental para que a experiência tenha o impacto desejado e amplie os horizontes de quem participa. 

 

  1. Diversidade de métodos

Pessoas diferentes aprendem de formas diferentes e têm diferentes preferências na hora de aprender. Algumas preferem texto, outras ver um vídeo, algumas gostam de trocar ideia entre pares, há ainda aquelas que preferem colocar a mão na massa desde o início… Então, que tal pensar em diferentes propostas para as pessoas escolherem? 

Quando falamos do universo online, além de atender essas preferências, deveríamos também buscar surpreender o participante. Afinal, é isso que a mobilidade faz: tira da zona de conforto e abre para experiências totalmente novas. Pensar nessas surpresas pode ser um desafio criativo muito recompensador.

 

  1. Aprendizagem híbrida

Só porque estamos focando em mobilidade online, não significa que temos que nos desconectar do mundo físico. Pelo contrário; essa ponte entre o mundo online e o mundo físico é o que permite o desenvolvimento de competências. No Programa Rumo fizemos isso desafiando as pessoas a buscarem pequenas mudanças em suas rotinas. O que a experiência online pode trazer para o dia a dia?  Isso permite desenvolver e praticar conhecimentos sem necessariamente estar todo o tempo em frente às telas.

 

Estes são apenas alguns dos pontos  apresentados pelo Instituto NOW no webinário da Swissnex Brazil. Para conhecer melhor as nossas metodologias confira os outros artigos no nosso blog.

 

flyer do webinário realizado pela Swissnex Brazil