Programa Rumo: Instituto NOW desenvolve competências para o século 21

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Como podemos estimular o desenvolvimento de competências para o século 21? Foi a partir desta reflexão que nós, do Instituto NOW, criamos o Programa Rumo. Ele foi colocado em prática no começo de 2020, trazendo diversos elementos e metodologias inovadoras.

Durante a realização, o Covid-19 se espalhou pelo mundo, tornando-se uma pandemia.  Apesar disso, todos aprenderam bastante, talvez até mais do que esperado.

O Rumo foi desenhado para abranger 5 pilares, que foram sendo colocados em prática no dia a dia do Programa. São eles:

Agilidade, escuta e empatia

Os 5 países participantes: Brasil, Espanha, Palestina, Quênia e Suíça e nós da organização tivemos que encontrar formas de realizar as ações, apesar das restrições impostas pelo Coronavírus e, ao mesmo tempo, dar conta dos desafios e atividades do Programa.

Idealizamos o Programa Rumo a partir de uma matriz de competências própria e foi necessário repensar toda sua estrutura de forma muito ágil. Fizemos os devidos ajustes e ordenamos os passos seguintes com muita velocidade, escuta e empatia.

Nossa proposta inicial com o Rumo já era inovadora: ser um jogo intercontinental, com atividades on-line e na vida real. Entre os nossos objetivos estava ter um Programa humano, pessoal e que buscasse gerar reflexão e conexão.Uma oportunidade para desenvolver o que de modo geral não se aprende na escola. Tudo isso colocando as pessoas como protagonistas de sua própria jornada de aprendizagem, escolhendo as competências em que desejavam se desenvolver.

Como tivemos pessoas de diversos países, foi natural que ocorresse também o intercâmbio cultural. A troca entre pessoas de diferentes regiões se mostrou um ganho a mais.

Comunidades de aprendizagem: Adaptação

Desde o início do projeto, já tinha sido prevista a parte on-line no Programa, mas haveria também momentos presenciais. Devido à Pandemia, tivemos que adaptar as atividades de acordo com o novo contexto. Em poucos dias, transformamos o programa antes híbrido em uma experiência 100% online.

As mudanças ocorreram com o jogo já em ação. Os encontros presenciais do time e com especialistas, as atividades ao ar livre e as imersões finais saíram de cena. No entanto, mesmo ocorrendo apenas no ambiente on-line, as sessões de palhaçaria, de conexão com o corpo e dança foram bem assimiladas, divertidas e geraram aprendizado.

Não faltaram, também, boas doses de inovação, engajamento das equipes, motivação, reflexão, experiência de novos hábitos, oportunidades pra sair da zona de conforto e para o compartilhamento de dificuldades e conquistas.

Desenvolvimento de competências: Uma de cada vez

1. Conexão

Na primeira semana do Programa, tivemos como foco o pilar Conexão. Nosso propósito foi que participantes pudessem começar a se conhecer e a vivenciar como pode ser transformador fazer parte de uma comunidade de aprendizagem.

Não importava se a pessoa estivesse em Barcelona, Belém, Florianópolis, Nairobi, Zurique ou em qualquer cidade do mundo. Tivemos uma comunidade de aprendizagem virtual que propiciou trocas sinceras e vários compartilhamentos por meio de mensagens, emojis e vídeos, nos quais cada pessoa contava suas experiências.

2. Equilíbrio

Na segunda semana, chegamos ao pilar Equilíbrio. Foi um momento para trabalhar questões importantes como o estresse e a ansiedade. Exercícios de meditação, escrita livre, mindfullness (consciência plena) e respiração levaram alívio, tanto para os participantes, quanto para os facilitadores dos jogos.

3. Resiliência

O pilar Resiliência foi o tema da nossa terceira semana do jogo.  As pessoas participantes refletiram sobre como seria a vida se não houvesse limites ou medo de nada e desenharam, a partir daí, uma versão mais corajosa de si.

Todes aprenderam bastante sobre como seguir em frente mesmo quando as coisas tendem a não dar certo. Com isso, descobrimos qual a melhor forma de lidar com desafios e obstáculos.

4. Crescimento

Como podemos nos tornar tudo aquilo que desejamos ser? O pilar Crescimento teve o propósito de desafiar participantes a se conhecerem, descobrirem singularidades, fortalezas e reforçarem sua autoconfiança.

Fizemos isso por meio de atividades que valorizavam a identidade de cada pessoa e de encontros com especialistas locais. Estas práticas permitiram que projetassem seu futuro de alguma forma.

5. Propósito

O pilar sobre Propósito foi uma oportunidade para participantes descobrirem em grupo como poderiam fazer a diferença. Como contribuir para resolver os problemas do mundo, enquanto time e enquanto pessoa?

Esta fase do projeto demandou boas doses de criatividade da equipe e de comprometimento de quem participou. Realizamos vários jogos on-line, webinar com especialistas e desafios em grupo. Tivemos até um workshop de truques de mágica, oferecido por uma das participantes!

Competências para o século 21

Vale lembrar que quando concebemos o Rumo, não programamos nenhum momento em que participantes dos 5 países estivessem fisicamente juntes. Fazer tudo on-line acabou sendo uma oportunidade que encurtou as distâncias, na qual foi possível ver os rostos de cada pessoa e também escutar vozes vindas de realidades bastante distintas.

Com o Programa Rumo, vimos o quanto é viável aprender as competências para o século 21 com muita diversão, troca de ideias, sonhos, pensamentos e ideais. As telas dos computadores, as diferentes línguas e fusos horários não foram impedimento para criar conexões reais e significativas. Saímos dessa experiência fortalecidas e acreditando cada vez mais na importância de proporcionar experiências transformadoras mesmo nos contextos mais difíceis.

Quer conhecer mais o nosso trabalho? Veja aqui outros programas para o desenvolvimento de competências para o século 21.